Aplicando PNL nas escolas para se ter um resultado mais positivo na vida dos alunos.

A falta de atenção e o uso de celulares nas escolas vem ocasionando sérios problemas na vida dos adolescentes.

Por Breno Melo.



Vivemos na “Era da Informação”. É estimado que 94% das pessoas nos Estados Unidos da América, possuem um aparelho de telefone celular. Esta é uma porcentagem absurda da população e quando falamos de celular, não podemos deixar de falar dos jovens. Eu, como um estudante, sei como é a rotina nas escolas. Tanto no Brasil quanto aqui na América, os alunos preferem muito mais utilizar seus celulares do que prestar atenção nas aulas e isto esta causando um deficit de atenção enorme e que esta prejudicando o aprendizado do aluno.

Confesso que já fui assim. Porém, consegui mudar meu Mindset depois que eu decidi estudar sobre PNL (Programação Neurolinguística). Antes de continuar este artigo, gostaria de fazer uma breve introdução do que se trata a PNL. A Programação Neurolinguística, de acordo com um de seus criadores, Richard Bandler, trata-se de um “processo educacional sobre como usar melhor o nosso cérebro”. Dito isto, podemos dar continuidade. Aplicando a PNL diariamente, notei mudanças tanto no meu comportamento, como também na minha percepção sobre o que estava acontecendo ao meu redor. Constatei que muitos alunos vão para as escolas e tendem a “sobreviver”, ao invés de “viver” o momento. Dando como exemplo o meu dia escolar, minhas aulas começam às 8 am e terminam às 2:35 pm, o que totaliza 6 horas e 35 minutos (incluindo intervalos e lanche). Levando em conta que nunca mais teremos aquelas 6 horas e 35 minutos do dia, acredito que estamos desperdiçando nosso bem maior: “o Tempo”.

Pesquisando sobre metodologias inovadoras, encontrei um sistema de ensino que prega totalmente o contrário chamado “Reggio Emilia”, o qual foi fundado na Itália, após a Segunda Guerra Mundial, no vilarejo de Vila Cella. É um método de ensino quebrador de paradigmas, uma vez que seu fundamento é baseado nos alunos como “protagonistas”. Desde o primário as crianças são livres para aprender o que quiserem e assim descobrirem seus interesses. A partir daí, começamos a entender o porquê da atual falta de estímulo dos alunos. Eles buscam encontrar seu lugar na sociedade, mas o sistema de ensino “atual” os limita, tornando-os cada vez mais desmotivados, frustrados e desacreditados.

Um dos objetivos da PNL é acabar com as “crenças limitantes”. Se eu repito para mim mesmo que não sou capaz e que nunca chegarei a lugar algum, meu cérebro reforça aquele pensamento negativo, pois agora ele teve uma afirmação de que estou triste e desmotivado. Porém, se repito para mim mesmo que sou um vencedor e que alcançarei todos meus objetivos, meu cérebro entenderá que estou feliz e motivado. Portanto, precisamos implementar a PNL desde a Pré-escola para criar jovens com crenças encorajadoras. Se começarmos a usar o princípio de crenças “encorajadoras” desde a pré-escola, conseguiremos educar as crianças para que no futuro estejam prontas para seguir sua vocação. A mente é tudo. Somos moldados por nossos pensamentos.


1 visualização
  • Facebook
  • Instagram

© 2023 by Gazeta Cristã.